O portal NJ.com publicou nesta quarta-feira, dia 5 de fevereiro, uma reportagem na qual entrevista diversas pessoas ao redor da NFL, como especialistas, ex-jogadores e dirigentes, para analisar se o CEO do New York Giants, John Mara, tem condições e capacidade para recolocar a franquia nos trilhos da vitória.

Algumas opiniões foram bem marcantes, como a de um torcedor anônimo que pediu para que Mara deixasse as chaves de seu escritório na mesa antes de ir embora, numa clara alusão de que o dirigente não deveria mais voltar ao time.

Entre as opiniões, está a do ex-Guard Geoff Schwartz, que disse que Mara precisa parar de fazer as coisas como antigamente e acompanhar a evolução da NFL. Já o ex-General Manager Ernie Accorsi afirmou que Mara sabe como ganhar e ele vai voltar a ganhar.

São várias as teorias, mas uma que chama a minha atenção é a de que existe um atrito entre John Mara e o presidente do conselho e coproprietário da franquia, Steve Tisch. No passado, as famílias já tiveram problemas como na vez que os Mara bloquearam os Tisch de assumir alguns cargos específicos dentro da organização. E o que ocorreu após a demissão do HC Pat Shurmur, no ano passado, nos passou uma mensagem nas entrelinhas de que Steve Tisch não confia mais nas decisões de John Mara em relação ao football.

Logo após John Mara falar na coletiva oficial sobre a demissão de Shurmur, Steve Tisch tomou a palavra para afirmar que estaria mais envolvido nas decisões do football, algo que era exclusivamente tratado por Mara até então. E desde então o que temos visto é que Tisch tem realmente se envolvido, desde as entrevistas dos candidatos ao cargo de head coach do time, até mesmo nas decisões envolvendo renovações de contrato e avaliação de jogadores.

Até então, John Mara era o único presente praticamente todos os dias nas dependências do Big Blue. Agora, é comum encontrar também Steve Tisch no recinto. A pergunta é: o quanto esse possível atrito pode influenciar nos rumos do New York Giants para os próximos anos.

Photo by Magazine Source

Podemos sentir logo de cara a mudança no comportamento nas decisões na formação da nova comissão técnica. A aposta em um nome jovem e promissor para Head Coach (Joe Judge) e a contratação de diversos coordenadores e treinadores de posições, numa comissão anunciada oficialmente com 21 nomes. Isto mostra duas coisas: Tisch realmente está envolvido e Mara aceitou que precisa fazer as coisas de forma diferente.

Outro sinal de que Mara está tentando se atualizar, é a quebra da tradição dos Giants de dificilmente demitir um treinador ou um general manager. Por anos, a franquia demorou para tomar decisões de trocar o comando que não esta funcionando (vide os anos finais de Tom Coughlin e toda a passagem do GM Jerry Reese, que desperdiçou inúmeras escolhas de draft com jogadores duvidosos).

E quem deverá sofrer com essa mudança de mentalidade é o GM Dave Gettleman. Ele precisa vencer nesta temporada. Acabou a paciência com a reconstrução e o time precisa apresentar resultados imediatos ou o GM será demitido ainda em 2020. E Gettleman sabe disso.

E você torcedor? O que acha da atuação de John Mara, Steve Tisch e Dave Gettleman no time nos últimos anos? Trocaria todos ou manteria do jeito que está? Deixe a sua opinião nos comentários.